Notícias
 
( 24/08/2016 ) Plenária do Núcleo Litoral Solidário renova e concede certificados de conformidade orgânica
 


Foto: relato da visita do Comitê de Verificação do núcleo ao grupo Terra Viva

Numa das maiores plenárias do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia, quarta-feira, 23 de agosto, no Salão Comunitário da comunidade de Raposa, em Três Cachoeiras, mais de 140 agricultoras e agricultores de oito municípios do Litoral Norte, decidiram sobre a concessão e renovação da certificação orgânica dos grupos visitados até agora pelo Comitê de Verificação do núcleo:Terra Viva, Sao Brás, Acert Raposa, Agrisap, GEC, Três irmãos, Cooperativa Ecotorres e Acertem. Os certificados ainda não foram entregues, pois a documentação a partir de agora será processada para emissão do certificado, esclareceu a agrônoma do Centro Ecológico Estefânia Camargo.

Além da discussão sobre certificação, os participantes conheceram experiências agroecológicas da Índia e do Sudão, relatadas pelo professor André Gonçalves. Os grupos Terra viva, Agrisap, Vale do Maquine e Boa união contaram por que, quando e como se organizaram, a partir de um roteiro de perguntas distribuído na plenária anterior.

Histórias diferentes fortalecem uma proposta comum

Num dos relatos, Lúcia Borges de Oliveira, do Terra Viva, destacou que o grupo foi formado em 2002, antes da exigência de verificação, com cinco famílias, e teve como objetivo ingressar nas feiras de Porto Alegre. Já as quatro famílias do grupo Vale do Maquiné, formado em 2011, queriam uma alimentação saudável, sem se expor aos agrotóxicos. Hoje 15 famílias integram o Vale do Maquiné.

Para a agricultora e estudante de Agronomia Raquel Fernandes, esses relatos ajudam a fortalecer os grupos e a tomar decisões, a resolver situações. Para a agrônoma Ana Paula de Matos, da recém formada Rede Povos da Mata Atlântica, do Sul da Bahia, a movimentação da plenária é uma oportunidade de conhecer uma rede consolidada, com 3 mil agricultores.É bem importante e vai facilitar o nosso trabalho.

A gerente da cooperativa de consumidores Ecotorres, Clédia Schinofre, enfatizou esses encontros de agricultores, que trocam ideias, isso gera crédito para o consumidor, quem sai ganhando com esses encontros é o consumidor. No dia a dia, Clédia percebe que o consumidor compra, mas não tem a ideia exata de todo o trabalho para o alimento chegar até ele orgânico certificado, todos os processos necessários pra isso”.

Próxima plenária será em novembro

A quarta plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia, organizada pelo Centro ecológico e Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade Orgânica (Opac) da Rede Ecovida de Agroecologia, contou com a participação de grupos de Osório, Maquiné, Santo Antônio da Patrulha, Três Forquilhas, Morrinhos do Sul, Três Cachoeiras, Torres e Mampituba. A próxima plenária será em 15 de novembro.

O que é a Rede Ecovida

É uma rede formada por grupos e associações de agricultura orgânica, entidades de assessoria técnica, agroindústrias, feiras, cooperativas de produtores e consumidores. Uma das conquistas da Rede Ecovida é o reconhecimento pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) do Sistema Participativo de Garantia (SPG), desenvolvido por seus membros. Para o consumidor, esse SPG assegura que o alimento é de fato orgânico. Para a família agricultora, assegura o reconhecimento do trabalho feito na propriedade.


   
 

Cursos

20/11
Plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia
21/11
Curso Princípios Básicos em Agricultura Ecológica


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br