Notícias
 
( 17/04/2007 ) Curso de Produção e Manejo de Palmeira Juçara no litoral norte do RS
 


Além de ser uma espécie-chave na Mata Atlântica, o Euterpe edulis –Palmeira Juçara, oferece amplas possibilidades de mercado quando manejado e processado dentro dos parâmetros legais. No RS, a região entre Osório e Torres é a principal região de ocorrência do Euterpe edulis, que em consórcio com a banana pode produzir até quatro toneladas anuais de frutos por hectare. Com características muito semelhantes as do açaí (fruto da Euterpe oleracea),a polpa destes frutos tem encontrado grande receptividade junto aos consumidores urbanos.
Essas e outras informações foram discutidas na 1ª etapa do Curso de Produção e Manejo de Palmeira Juçara, realizada no dia 16 de abril, no Centro de Formação Pastoral em Dom Pedro de Alcântara, pelo Centro Ecológico Litoral Norte. O agrônomo Rodrigo Favreto, da Fepagro, e o técnico agropecuário Paulo Brás da Epagri de Santa Rosa do Sul- SC, foram os palestrantes convidados para relatar experiências referentes ao manejo e à importância econômica e ambiental da planta. Paola Stumpf, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente – RS, orientou os participantes em relação ao licenciamento necessário para o cultivo,manejo, colheita e transporte da palmeira e seus derivados, como mudas, caule e frutos.
Este curso tem o apoio do KFW - Kreditanstalt für Wiederaufbau; PDA e Ministério do Meio Ambiente.

Leia abaixo um resumo de duas apresentações:

Apresentação de Rodrigo Favreto - Fepagro – Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária
Curso de Produção e Manejo de Palmeira Juçara - 1ª etapa


PALMEIRA JUÇARA
(palmiteiro, ripa, ripeira, jiçara, içara)

Nome científico:Euterpe edulis

Irmãs do palmiteiro Juçara (O gênero Euterpe)

Na Amazônia:
E. oleracea – Açaí
E. precatoria – Açaí da terra firme
E. caatinga – Açaí chumbinho



Na Mata Atlântica:
E. edulis – Juçara, Ripa, Palmiteiro
E. espiritosantense - no Espírito Santo

Regiões de ocorrência natural da Juçara: clima quente e úmido!

“Espécie-chave” na Mata Atlântica!
Importância ecológica!

Conseqüências do extrativismo clandestino:
- Perda de diversidade genética
Redução da fauna
- Outros efeitos nas florestas (plantas, insetos, etc.)


Respostas à luz: A palmeira Juçara responde à luz
- Faixa ideal: 20 a 70% de luz
- mais de 70% - queima folhas e pode morrer
- menos de 20% - cresce muito devagar
E na floresta quanto sol chega até o chão? Menos de 5 %
Banco de plântulas
“Efeito clareira”
Responde também à fertilidade do solo


Importância econômica e social
- Folhas: forragem p/ gado, artesanato e ornamentação (alternativa à samambaia)
- Frutos: polpa e derivados
- Mudas p/ plantio e paisagismo
- Flores: mel e pólen
Caule: - madeira (ripas)
- açúcar
- resíduo (substrato p/ floricultura)


Outras características importantes:

Raiz fasciculada:
50% nos primeiros 20 cm do solo

Sementes recalcitrantes

Grande produção anual de sementes: banco de plântulas na floresta
Cultivo e Manejo
Produção de sementes:
1. Colheita;
2. Frutos em água morna (30 min);
3. Retirada da polpa;
Germinação: mais de 80% (semente nova e madura)

Produção de mudas:
1. Sementeiras: serragem, areia ou material orgânico;
- germinação: verão: 30 dias; inverno: 90 dias

2. Transplantar para saquinhos ou tubetes (laminados);

3. Sempre à sombra (50 %) e com umidade;
Muito sol = antracnose + sombra / calda bordalesa

Mudas: Plantio no inverno.
Cultivo em linha facilita a comprovação do plantio.
Semeadura: 1) a lanço (melhor com polpa)
2) enterrio: 2-3cm (covas, saraquá, ...) – sem polpa (melhor germinação e “pegamento”)


MANEJO DA SOMBRA SOBRE A JUÇARA

Sol pleno nos primeiros anos geralmente mata a planta.
Sombra demais também limita o crescimento.
Em mata muito fechada o desenvolvimento para ponto de corte e produção de frutos pode demorar mais de dez anos.
Em capoeira fina ou cultivos em consórcioa Juçara plantada cresce bem mais rápido (5 a 8 anos)

Consórcios e sistemas agroflorestais:

- citros; palmeira real; eucalipto;
- reflorestamentos nativos (louro, sobraji, cedro);
- como cerca viva, quebra-vento, ou planta ornamental.
Espaçamento variável. Nas linhas ou entrelinhas.


SISTEMAS AGROFLORESTAIS (SAF’s): “Mistura” de floresta com agricultura, de forma planejada e consorciada na mesma área.

- Diversos produtos agrícolas, em épocas diferentes
- Produtividade agrícola e conservação ambiental
- melhoria do solo e da água;
A Juçara se adapta bem aos SAF’s: sombra!



CONSÓRCIO COM BANANA
- Sombra adequada (nem muito fechado, nem muito aberto), adubação residual e umidade.

-Espaçamento variável:- Banana cultura principal: Juçara em torno de 3x 6m (556 plantas/hectare). - Substituição da banana pela Juçara: espaçamento mais denso (1 x 2 ou 2 x 2 m).


Produtividade

Em floresta:
1-2 cachos (400 Kg/ha)

Em bananal ou quintal:
3-4 cachos (4 mil Kg/ha?)



LEGISLAÇÃO - Apresentação de Paola Stumpf
Secretaria Estadual do Meio Ambiente -SEMA/RS
Departamento de Florestas e Áreas Protegidas - DEFAP

Manejo do palmiteiro plantado
Etapa 1 - Plantio
Obtenção do CIFPEN -Certificado de Identificação de Floresta Plantada com Espécies Nativas

O que precisa?
-Projeto realizado por técnico habilitado
-ART
-Cópia da matrícula do imóvel no Registro Geral do Cartório de Registro de Imóveis, atualizada em até 90 dias, ou averbação cartorial ou sentença judicial definitiva referente à posse do imóvel
-Cópia do RG e CPF
-Taxa: até 25ha – isento maior que 25ha – R$ 28,45 área manejo maior que 5 há – R$ 1,48/ha

Etapa 2 - Manejo
-Exploração do palmito
Licenciamento do corte
O que precisa?
-Preenchimento do formulário
-Cópia do RG e CPF
-Cópia da matrícula do imóvel no Registro Geral do Cartório de Registro de Imóveis, atualizada em até 90 dias, ou averbação cartorial ou sentença judicial definitiva referente à posse do imóvel.


   
 

Cursos

20/11
Plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia
21/11
Curso Princípios Básicos em Agricultura Ecológica


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br