Notícias
 
( 19/07/2016 ) Rota de produtos agroecológicos vai ligar o Sul da Bahia ao Sul do Brasil
 


Foto: Luciano, Edson e Raimunda na Feira Ecológica Lagoa do Violão, em Torres, Litoral Norte/RS

Um acordo entre a Rede Ecovida de Agroecologia e a Rede de Agroecologia Povos da Mata Atlântica poderá disponibilizar, nos pontos de venda de orgânicos do Sul do Brasil, derivados de cacau, cajá, jenipapo, graviola, jaca e outros produtos certificados do Sul da Bahia. Em contrapartida, produtos agroecológicos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, chegarão a consumidores de municípios como Maraú, Ilhéus, Uruçuca e Itacaré. A rota foi delineada na última reunião sobre Circuitos de Comercialização da Ecovida, dias 12,13 e 14 de julho em Monte Alegre dos Campos/RS, com a presença de quatro representantes da rede baiana: Edson Santana, Luciano Ferreira da Silva, Raimunda Coelho e Tatiane Botelho.

Nossa vinda pra cá foi justamente para conhecer as experiências da Rede Ecovida de Agroecologia e ver como funciona isso na prática, explicou Tatiane. Para a técnica, o papel da Povos da Mata Atlântica é organizar o trabalho de aproximadamente 400 famílias agricultoras, ONGs, instituições de assessoria técnica e extensão rural (Ater), movimentos sociais, consumidores, assentamentos, estudantes, quilombolas, indígenas e acampados, que desde uma assembleia em julho de 2015 fazem parte da rede.

O grupo destacou que a experiência da Ecovida com agroindústria, cooperativismo e o Sistema Participativo de Garantia (SPG) pode contribuir no desafio de fortalecer o movimento agroecológico que já existe há muitos anos na região. Além disso, a valorização dos produtos pode mudar a visão dos agricultores sobre a monocultura do cacau.

Segundo o técnico e agricultor Luciano Ferreira da Silva, os agricultores que cultivam em sistemas agroflorestais diversificados, têm o cacau e todos os derivados, mel, polpa, chocolate, cocada. A nossa ideia e poder melhorar a qualidade dos produtos e agregar valor com a agroindustrialização.

Grupo visitou agroindústrias e cooperativas

Além de participação na reunião da Rede Ecovida, em Monte Alegre dos Campos os baianos visitaram a Agroindústria Carraro. No Litoral Norte, nos dias 15 e 16, conheceram o escritório do Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade Orgânica (Opac), a Cooperativa Agrícola Santo Anjo (Coopergesa), a Agroindústria Morro Azul, a Coopernativa, a Feira Ecológica Lagoa do Violão e as cooperativas de consumidores de Três Cachoeiras (Coopet) e de Torres (Ecotorres).

Feiras e cestas levam orgânicos ao consumidor do Sul da Bahia

Há nove meses, em torno de 50 consumidores das localidades de Itacaré, Macaú e Serra Grande (distrito do município de Uruçuca) recebem quinzenalmente cestas prontas com rúcula, couve, agrião e o que mais tiver na propriedade de 30 famílias: limão, cajá jenipapo, acerola, abacate, entre outras frutas da grande diversidade da região. A maior do Brasil, segundo Luciano.

A gente como rede está mais dedicado a esses três municípios, mas existem já outras feiras que acontecem com agricultores que fazem parte da rede, mas que não estão tão organizados, ponderou Tatiane. Conforme a técnica, em Ilhéus tem uma feirinha no Centro da cidade e uma dentro da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Em Itacaré há uma feirinha em frente à estação.


   
 

Cursos

19/9
22 anos do Conselho das Associações Ecologistas de Ipê e 10 anos da Econativa Serra


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br