Notícias
 
( 18/11/2014 ) PARA: amostra satisfatória não quer dizer sem veneno
 


Os resultados das análises de 1.397 amostras de abobrinha, alface, feijão, fubá de milho, tomate e uva, coletadas em quatro períodos diferentes de 2012 foram divulgados no dia 14 de novembro de 2014 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O relatório completo está no site da Anvisa.

Na cartilha Agrotóxicos: guerra química contra a saúde e o meio ambiente, a agrônoma Maria José Guazzelli explica que o fato de um percentual apresentar contaminação não significa que o restante das amostras está isento de venenos.Se a contaminação por agrotóxicos estiver dentro dos parâmetros permitidos, a amostra é considerada satisfatória. Como exemplo, se 48% das amostras de abobrinha estão insatisfatórias, não quer dizer que 52% restantes não tenha agrotóxicos. Quer dizer que, se tiverem agrotóxicos, estes estarão dentro dos níveis legais aceitáveis de envenenamento.

Neste boletim, um dos articuladores do Programa Nacional de Redução do Uso de Agrotóxicos, Leonardo Melgarejo, destaca que as análises a respeito da dosagem segura de agrotóxicos não consideram a superposição de fungicidas, inseticidas, nematicidas, entre outros produtos.


   
 

Cursos

20/11
Plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia
21/11
Curso Princípios Básicos em Agricultura Ecológica


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br