Notícias
 
( 06/02/2014 ) Alimentação saudável pode causar danos à saúde
 


No Brasil, ter uma alimentação saudável pode ser um perigo.

A informação consta na reportagem Brasil fiscaliza agrotóxico só em 13 alimentos, enquanto EUA e Europa analisam 300 publicada em O Globo no dia 30 de janeiro e faz referência ao número de alimentos analisados pelo Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos (Para). A matéria faz parte da série "No país do faz de conta" e teve contribuição da Associação Brasileira de Saúde Coletiva.

A agrônoma Maria José Guazzelli explica que o Para não é fiscalização. Seu principal objetivo é funcionar como um sinalizador para a criação e implementação de medidas regionais de controle sobre o uso de agrotóxicos, que podem ser de natureza fiscal, educativa ou informativa.

Para só divulga contaminações consideradas ilegais

"Quando o Para divulga a contaminação de agrotóxicos nos alimentos, os dados só se referem a amostras que apresentaram resíduos de agrotóxicos não autorizados para a cultura ou níveis de resíduos acima do Limite Máximo de Resíduo. Se a contaminação por agrotóxicos estiver dentro dos parâmetros legais, a amostra é considerada satisfatória. Como exemplo, se 82% das amostras de pimentão estão insatisfatórias, não quer dizer que os 8% restantes não tenham agrotóxicos. Quer dizer que, se tiverem agrotóxicos, estes estarão dentro dos níveis legais aceitáveis de envenenamento", esclarece a agrônoma.

E como é calculado o Limite Máximo de Resíduos que um ser humano pode consumir? Segundo Maria José, a quantidade máxima legalmente aceita de um agrotóxico no alimento e a Ingestão Diária Aceitável (IDA), que é a quantidade máxima do agrotóxico que se pode ingerir diariamente, durante toda a vida, sem oferecer risco à saúde, são calculados a partir de testes com cobaias.

"São feitos alguns cálculos de correção para chegar ao valor do limite de tolerância para a exposição humana a cada agrotóxico. Portanto, o que se busca determinar com os testes é um valor aceitável de exposição humana ao envenenamento e não que não ocorra envenenamento".

Tempo e mistura entre substâncias podem potencializar efeitos

Conforme a agrônoma,é um absurdo a ideia de que se a DL 50 for respeitada, as pessoas estarão em segurança quanto à contaminação. " A DL50 só informa a quantia para evitar a morte súbita pela intoxicação aguda. A DL50, IDA e LMR desconsideram que as pessoas estão expostas a múltiplos tóxicos e ao longo do tempo, ignorando que podem a mistura deles pode se potencializar e provocar efeitos crônicos".

Estas e outras informações constam na parte 1 do dossiê Abrasco intitulada disponível Agrotóxicos, Segurança Alimentar e Nutricional e Saúde e no livro Agrotóxicos no Brasil, um guia em defesa da vida da jornalista Flavia Londres.




Foto: horta orgânica de Romildo e Denise Schardosim, em Dom Pedro de Alcântara, Litoral Norte/RS


   
 

Cursos

23/7
Jornadas Ecológicas - Roda de conversa com Maria José Guazzelli


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br