Notícias
 
( 22/12/2009 ) Tu te sentes mais satisfeito comendo orgânicos - palavras do chef no jantar da EcoTorres
 




Na sexta-feira, 18 de dezembro, quando o mais esperado encontro sobre meio ambiente já revelava a irrelevância da questão climática frente ao modelo econômico dos países mais poderosos da Terra, um chef em Torres preparava um jantar com alimentos que ajudam a esfriar o planeta.

Na cozinha da Pousada Punta Serena desde de manhã, Matias Moreno - permacultor e cozinheiro de formação, comandava uma comissão de cozinheiras e assistentes na execução do cardápio planejado a partir dos ingredientes disponíveis na Cooperativa de Consumidores EcoTorres e na Feira Ecológica Lagoa do Violão.

E se as negociações dos grandes chefes de Estado decepcionaram o mundo, a refeição do chef foi extremamente bem avaliada pelas cerca de 80 pessoas presentes. Estes depoimentos são uma amostra do clima geral deste feliz acontecimento que comemorou, em grande estilo, o aniversário de 10 anos da Cooperativa de Consumidores de Produtos Ecológicos de Torres – EcoTorres. Leia também as observações do chef Matias Moreno sobre o desafio de pensar um jantar orgânico.

Depoimentos dos convidados

Agostinho Brentano
Uma questão de know how preparar. Foi uma combinação muito boa.

Erneide da Silva
Maravilhoso, comidas diferentes que eu nunca tinha experimentado, com sabor apurado, muito bom.

Karin Martinatto
Jantar maravilhoso, algo que falta em Torres até no dia a dia. Acredito que Torres já tenha uma demanda para ter um restaurante naturalista,.onde a gente possa ter esse tipo de refeição diariamente. O que mais me agradou foi a variedade de pratos sem carne, que é uma tendência cada vez mais crescente uma vez que cada vez mais pessoas estão se conscientizando da não necessidade de ingerir qualquer tipo de animal.

José Alberto Johann
Jantar bom , comida boa, ambiente muito agradável , pessoas simpáticas, queridas, muito legal. Por ser o primeiro jantar tinha receio que não fosse o sucesso que está sendo. Além da expectativa.

Francisco Pereira
Ótima a janta. Para quem não está acostumado com este tipo de alimentação estranha um pouco, mas eu acho que é começar a se adaptar um novo estilo de vida. E acho que isso aqui além de saudável, é uma opção muito inteligente. Estes 10 anos desta cooperativa são uma vitoria muito grande da equipe toda, desde a fundação chegar aqui com este sucesso todo.

Andrea Torres
Achei uma delicia, super gostoso, a iniciativa maravilhosa, de poder fazer este jantar. Me ocorreu de a cooperativa poder trazer alguns cursos dentro da culinária orgânica. Tem alguns produtos que eu compro lá e que não sei como utilizá-los.

Rita de Cassia Jaeger
Achei que a comida estava bem saborosa, leve, a gente come e não fica se sentindo pesada e eu gostaria de poder cozinhar assim também na minha casa.

Mateus de Lima Pereira
Considero de extrema importância essa reunião, para a convivência dos associados da cooperaiva e para os que não são associados, não são clientes, porque vão ter contato com a agro ecologia, com uma culinária, mais regional, mais saudável e com ingredientes mais diversificados. Gostaria de pedir que este tipo de atividade ocorresse com uma freqüência maior.

Na Pousada

Celma Spindler – assistente de cozinha
Algumas coisas diferentes. Nunca tinha cozinhando com orgânicos antes.


Moema Borba De Rose – proprietária da Pousada
A gente sentiu de perto a alimentação saudável, foi uma diferença mesmo incrível para nós. Achamos muito interessante a alimentação servida porque não deixa nada a desejar em relação a outras coisas que a gente costuma servir normalmente. É uma questão de educação a gente saber procurar o s produtos, saber que é orgânico,


Palavras do chef Matias Moreno

Este jantar foi um desafio. Teria sido mais fácil passar uma lista de ingredientes com pratos testados que eu sabia que iam dar certo. No momento em que tive que trabalhar com ingredientes da safra, dos agricultores e da cooperativa, tive que usar a criatividade. É muito bacana utilizar desta criatividade.É um desafio estar com as mãos amarradas, não poder se mexer muito além daquilo, dos ingredientes que os consumidores podem encontrar na loja da cooperativa. Isso ajuda a desenvolver o lado criativo.

Em Porto Alegre vou muito na Feira do Bom Fim ( Feira Ecológica da José Bonifácio). É impressionante o leque que se abre quando se descobre a sazonalidade dos ingredientes. É legal de aproveitar o momento. Não é aquela mesmice do supermercado. Parece que se dá mais valor aos ingredientes porque tu não vais mais encontrar.

Em Porto Alegre minha mãe se dispôs a entrar no movimento e acabou se tornando amiga de muitos produtores. São consumidores que vão até às famílias dos agricultores, que ficam conhecendo a família Stefanoski, que tem uma matriarca, um patriarca. Isso cria um vínculo maior com o produtor. Não fica aquela conveniência do supermercado, onde tu não sabe a origem e não tem carinho por aquilo. Diferente de quando se sabe de quem se compra. Os produtores guardam morango pra Dona Dora.

A função destas cooperativas, movimentos e ações é exatamente aumentar o vínculo com a comida e com as pessoas que a produzem. O consumidor vai tratar diferente um alimento quando conhece o produtor do que quando compra comida no supermercado.

A diferença no resultado

Tem uma diferença, principalmente nas verduras. A qualidade é melhor. Primeiro porque duram mais, segundo porque nutrem mais, satisfazem mais, dão mais satisfação nutricional, muito mais do que outros. Tu te sentes mais satisfeito comendo orgânico do que convencional.


   
 

Cursos

20/11
Plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia
21/11
Curso Princípios Básicos em Agricultura Ecológica


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br