Notícias
 
( 08/12/2008 ) Fotos e texto sobre a III Feira da Economia Solidária de Torres
 




Se o Marketing é a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos, a Economia Solidária busca que estas necessidades e desejos sejam de todos, a fim de construir uma sociedade justa, com alternativas mais auto-suficientes para geração de renda e menos exclusão social.

Quando a agricultora Romarize Azevedo Clay, do Grupo Samambaia Preta começou a tramar aparadores de prato (souplats), luminárias e guirlandas com materiais naturais, não imaginava que um dia estaria tão envolvida com esta proposta:
Por problema de coluna muitas vezes não conseguia trabalhar na roça, então fazia artesanato, um negócio que vem desde minhas bisavós. Em 2000, ela começou a trabalhar com a Anama- Associação Nascente Maquiné e participou de diversos eventos envolvidos com as redes de economia solidária. Isso mudou muito a minha vida,enfatiza a artesã que usa três tipos de cipós, de cinqüenta espécies, assegurando que seu tipo de extrativismo não degrada,mas preserva a biodiversidade: Vou ali e corto e no ano que vem brota mais ainda. A UFGRS ( Universidade Federal do Rio Grande do Sul) está pesquisando para provar isso.

Do outro lado, a nutricionista aposentada Ione Teichmann que também é artesã, mas urbana, compra e encomenda mais guirlandas da Romarize, que servirão de base para suas criações com flores, bichinhos de pano e inços. A urbana Ione em breve vai se reunir com a Torresart- a associação dos artesão de Torres – para estudar a possibilidade de participar do grupo.

A III Feira da Economina Solidária, que no último final de semana reuniu vinte quatro iniciativas da economia solidária na Praça XV, foi assim um espaço de mais reconhecimento e integração entre quem produz e quem consome, e entre quem produz individualmente e grupos já estruturados ou em processo de formação.

Participando pela primeira vez de um evento como esse, Manuela Silveira Maia do Grupo do Fuxico disse o convite para a terceira edição da feira incentivou o grupo: Começamos a produzir para a feira. Nos motivou e estamos vendendo bem.

Para o Grupo de Mulheres Ecologistas do Morro do Forno, a Feira da Economia Solidária representou o início de uma organização mais formal: Começamos a trabalhar em grupo a partir da produção do café, em 2005. Participamos da Feira da Economia Solidária em Torres naquele ano e foi ali que começamos a nos organizar, a fazer a feira em Morrinhos do Sul e continuamos com o café, conta a agricultora Maria Elena Gomes.

Estes são alguns exemplos de uma tendência econômica mundial da qual Torres e o litoral norte já fazem parte há pelo menos uma década, através do trabalho dos grupos e associações de agricultura ecológica, como a ACERT – Associação dos Colonos Ecologistas da Região de Torrres – que estava com uma banca de caldo de cana, suco de açaí e produtos da agroindústria ecológica.

Além dos produtos, a III Feira da Economia Solidária foi prestigiada pelos artistas locais. Começou em grande estilo com o Coral Outono Em Canto, contou com a presença de Elio Bittencourt Moreira e seu novo livro de poesias, com as declamações de Cláudio Nascimento, a performance saxofonista Marino Jorge, com a música flamenca do violonista Leandro Lemos, o prazer das palavras do Grupo de Poetas de Torres e Inaudi Ferrari. Para terminar, o Coral Maturidade Ativa SESC Livramento.

A III Feira da Economia Solidária foi uma promoção da Prefeitura de
Torres, através da Secretaria de Turismo e Centro Ecológico, no âmbito do projeto Soluções Ambientais para Problemas Sociais, patrocinado pela Petrobras.

A CORSAN - Companhia Riograndense de Abastecimento e o Centro Comunitário Nossa Senhora das Dores apoiaram o evento com o fornecimento de água e empréstimo das mesas e cadeiras.


Empreendimentos que participaram da terceira edição da Feira da Economia Solidária
Grupo Morro Azul, Raízes da Arte, ACERT Raposa, MMC - Movimento de Mulheres Camponesas, Econativa e Agroindústria Morro Azul, de Três Cachoeiras; COOTAV, Conselho Clube de Mães de Torres, TORRESART, EcoTorres, MAT, Aldeia Indígena Guarani, Grupo do Fuxico do Posto de Saúde do Curtume, de Torres; Grupo de Mulheres Ecologistas do Morro do Forno, Clube de Mães Todos os Santos e Grupo Rio Bonito, de Morrinhos do Sul; ACEVAM - Caminho das Fibras, Grupo de Mulheres - Artesanato Taboa, ASSERPLAN e Grupo Itaimbé, de Praia Grande (SC); Justa Trama - Cooperativa Univens, de Porto Alegre; AMA - Associação Municipal de
artesãs de Santa Rosa do Sul (SC); Associação Derla Arte, de Jacinto Machado (SC); e Samambaia Preta, de Maquiné.


   
 

Cursos

20/11
Plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia
21/11
Curso Princípios Básicos em Agricultura Ecológica


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br