Notícias
 
( 17/12/2007 ) Feira Ecológica Lagoa do Violão em Torres completa quatro anos
 


Como em todos os sábados desde dezembro de 2003, a Feira Ecológica Lagoa do Violão começou cedinho, às sete horas da manhã, com a presença dos clientes que madrugam para serem os primeiros a comprar os produtos fresquinhos, colhidos na tarde do dia anterior nas propriedades de cinco famílias de agricultores ecologistas da região de Torres.

Mas neste sábado, 15 de dezembro, era diferente. A Feira Ecológica estava completando quatro anos. Mesmo contando com clientes fiéis, não é fácil manter uma feira onde a oferta de verduras, frutas e legumes segue a lei do tempo. E que tempo! Nestes quatro anos, pelo menos duas vezes os agricultores do Litoral norte do Rio Grande do Sul tiveram a produção arrasada: em março de 2004, pelo Furacão Catarina e no início deste ano, com uma tempestade de grandes proporções. Fora isso, como explicar para consumidores acostumados a ver de tudo em qualquer época, nos supermercados e feiras convencionais, que em fevereiro temos acerola, abacaxi e outras frutas cítricas para consumir, ao invés de laranja e tangerina? Que inhame e cará são muito melhores que batata inglesa? Sem falar em outras limitações enfrentadas pelos agricultores que acabam refletindo na comercialização, que por sua vez influencia a produção, e por aí vai.

Mas parece que quatro anos é uma boa marca para quem enfrenta tanta adversidade para produzir sem agrotóxicos, buscando preservar e resgatar a biodiversidade.

Por isso as famílias e a equipe técnica do núcleo litoral do Centro Ecológico organizaram uma feira com atrações e convidados especiais.

Edit Matielo, da ONG Onda Verde, estava presente com suas mudas de araçá, pitangueira, babosa e outras plantas nativas, divulgando seu projeto Conjugando o Verbo Plantar, que ela vem desenvolvendo desde o 2006 e que já virou livro. Em duas mesas à parte, foram colocados álbuns de fotos dos agricultores em suas propriedades e suco de açaí em diversas combinações – puro, com banana, laranja e maracujá. Mais adiante, em um varal improvisado, uma pequena mostra dos trabalhos realizados nas oficinas ministradas ao longo do ano pelo artista plástico Breno Stern, na Casa da Economia Solidária. Na banca da família Strege Evaldt, um espaço gentilmente cedido para uma amostra dos livros e publicações disponíveis na biblioteca Eco-Social Hilda Zimmermann, que também fica na Casa da Economia Solidária.

No final da feira, dois clientes foram sorteados com duas cestas ecológicas. O sorteio fez parte de uma campanha dos agricultores para reduzir o uso de sacolas plásticas: todos os clientes que levavam suas próprias sacolas de casa receberam cupons para concorrer.

Que em dezembro de 2008, a Feira Ecológica Lagoa do Violão complete cinco anos, com mais famílias de agricultores e mais famílias de consumidores, juntos, promovendo a preservação ambiental, o consumo consciente e solidário e a saúde para mais e mais pessoas.


   
 

Cursos

20/11
Plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia
21/11
Curso Princípios Básicos em Agricultura Ecológica


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br